Projetos de Pesquisa


Distribuição e Diversidade Florística da Flora Arecaceae do Jardim Botânico De Jundiaí– (JBJ) – SP.
Thiago Pinto Pires, Felipe Hashimoto Fengler, Demétrio Vasco de Toledo Filho, Cauê Atique, Renato Steck
Jardim Botânico de Jundiaí, Instituto Agronômico de Campinas – IAC, Associação Mata
Ciliar e PUC – Campinas
Início: 11/2012. Encerramento: 06/2013

RESUMO: A Família Arecaceae apresenta distribuição predominantemente pantropical, incluindo cerca de 200 gêneros de palmeiras e 2000 espécies, sendo que no Brasil ocorrem cerca de 40 gêneros e 260 espécies [1]. Desde a fundação do Jardim Botânico de Jundiaí, em dezembro de 2004, foram introduzidas espécies de plantas com o propósito de contribuir com o paisagismo do local. Foram introduzidas plantas herbáceas, trepadeiras, arbustivas e arbóreas. A fim de atender a resolução n° 339/2003 do Conselho Nacional do Meio Ambiente que estabelece diretrizes sobre o enquadramento dos Jardins Botânicos no Brasil, o Jardim Botânico de Jundiaí iniciou uma série de atividades previstas nesta resolução. A partir do ano de 2009 foi definida uma equipe técnica para iniciar atividades de pesquisa e educação ambiental no Jardim. Com o objetivo de conhecer a diversidade florística e a localização das palmeiras nativas e exóticas, foi iniciado em novembro de 2012 e finalizado em junho de 2013 o presente trabalho de identificação e georreferenciamento das palmeiras do Jardim Botânico de Jundiaí. O Jardim Botânico está localizado no marco geodésico 23K 305.635 e 7.435.435. O clima da região é mesotérmico de inverno seco (Cwa), com temperatura média de 21,4°C e precipitação média anual de 1.400 mm. Foi percorrida toda a área de forma sistemática, registrando a ocorrência de pelo menos um indivíduo de cada espécie de palmeira com a determinação da posição espacial. Foram levantadas todas as espécies da família arecaceae presentes no Jardim Botânico, incluindo palmeiras com caules solitários, cespitosos e acaules. Foi utilizado o sistema de classificação de plantas APG III, para
identificação foram utilizados guias de identificação especializados e foram consultados especialistas e técnicos de outros Jardins Botânicos. Para a localização geográfica foi utilizado o GPS MAP 76csx Garmim, com sistema de projeção UTM – datum WGS 84 e foi registrada apenas uma localização por espécie. Com auxílio do Sistema de Informação Geográfica ILWIS versão 3.3 foi produzido um mapa com a localização de cada espécie. Foram identificadas 62 espécies, distribuídas em 39 gêneros, dentre as espécies encontradas 17 são nativas e 45 são exóticas da flora brasileira. Apenas uma espécie encontrada, Euterpe edulis Mart (FIGURA), está presente na lista oficial das espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção. Observase a necessidade de aumentar o número de espécies de palmeiras nativas no Jardim Botânico de Jundiaí, em virtude da alta diversidade, 260 espécies, encontrada no Brasil. Como produtos deste trabalho foram gerados uma lista e um mapa de distribuição da coleção de palmeiras do Jardim Botânico de Jundiaí. O presente trabalho permitiu o conhecimento da diversidade florística da família Arecaceae e sua distribuição no Jardim Botânico de Jundiaí. Que serão fontes de informações para estruturar a visitação e os processos educativos no interior do jardim.





Jardim Botânico Jundiaí | Desenvolvido por CIJUN