Destaques


Conhecer para preservar: educação ambiental do Jardim Botânico

A cidade de Jundiaí está localizada em zona de transição entre a Mata Atlântica e o Cerrado. Situação que confere ao município destacada riqueza natural. O Jardim Botânico de Jundiaí tem, como um dos objetivos, despertar por meio do conhecimento o interesse na preservação da flora.

Inaugurado em 29 de dezembro de 2004 em uma área de 150.000 metros quadrados, o Jardim Botânico de Jundiaí possui uma coleção de espécies de plantas nativas para conservação e exposição, exemplares nativos, orquidário, ciclovia e jardins temáticos. Neste ambiente é desenvolvido um programa educacional chamado Projeto Vivências, que, somente no primeiro semestre deste ano, recebeu cerca de 500 estudantes do ensino infantil até o técnico para visitas monitoradas ao longo das estruturas e jardins do Jardim Botânico.

Segundo a bióloga e coordenadora do programa de educação ambiental, Bruna Gonçalves da Silva, o contato com a natureza desperta o interesse e desenvolve a crítica na população. ‘Os monitores explicam detalhes sobre as plantas, os biomas e sua importância. A partir dessas informações, as crianças despertam a análise crítica do seu próprio ambiente, reconhecendo a necessidade de preservação”, aponta.

Projeto Vivências do Jardim Botânico de Jundiaí realiza visitas monitoradas no espaço para oferecer conhecimento sobre espécies nativas

Para a professora de Matemática, Laboratório de Ciências e Robótica do colégio Divino Salvador, Luiza Baggio, as atividades educativas fora do espaço formal da sala de aula são recursos que enriquecem o conteúdo do ensino, quando bem explorados pelo professor. “Atividades externas, como visitas a Museus, Parques e Jardins Botânicos, têm por objetivo associar os conteúdos ministrados em sala com a realidade do meio e dos acontecimentos diários, proporcionando uma transmissão de conhecimentos de maneira descontraída e momentos de socialização”, conta.

Ainda de acordo com a professora, que visitou o Jardim Botânico de Jundiaí no primeiro semestre com uma classe de estudantes para desenvolver atividade de robótica, o Projeto Vivências foi fundamental para embasar o trabalho dos alunos. “Os estudantes fizeram uma visita monitorada e conseguiram subsídios para o desenvolvimento do projeto de robótica especial para oferecer tradução em libras para surdos durante uma visita ao local. Posso sentir orgulho de minha cidade, que tem tantos recursos a oferecer aos alunos. Os monitores exploram cada ambiente de forma diferente, além de muito dedicados naquilo que se propõem. Mostram o contraste entre o antes e o atual. Isto é cultura ambiental”, detalha a professora.

Assessoria de Imprensa – Prefeitura de Jundiaí
Foto: Arquivo Jardim Botânico de Jundiaí

Publicada em 26/07/2017




Jardim Botânico Jundiaí | Desenvolvido por CIJUN