Destaques


O inverno e as plantas

As estações do ano são resultado do movimento de translação do planeta Terra, juntamente com a inclinação do eixo terrestre, que gera uma variação da energia solar que atinge a superfície terrestre em uma determinada época do ano. O Brasil, por apresentar a maior parte do território na Zona Intertropical (próxima à linha do Equador), não possui as quatro estações bem definidas. Sendo o inverno mais rigoroso nos estados da Região Sul.

Caracterizado como a estação com as temperaturas mais baixas, o inverno se estende de 21 de dezembro a 22 de março no Hemisfério Norte, e de 21 de junho a 23 de setembro no Hemisfério Sul. Suas noites são mais longas que os dias devido a menor incidência de raios solares na porção do planeta Terra que está passando por essa estação.

Com as alterações na temperatura, comprimento do dia e outras variáveis do ambiente, como a disponibilidade de recursos, alguns animais migram, outros hibernam e as plantas possuem estratégias adaptativas a essas mudanças, como variações morfo-fisiológicas associada à essas variações ambientais.

Nas plantas, por exemplo, há a queda das folhas (deciduidade), que acontece durante a época do ano em que os dias têm um menor número de horas de luz. Como consequência dessa menor luminosidade, o fenômeno da fotossíntese é reduzido, tendo a planta que poupar a energia que acumulou durante o período em que a fotossíntese era mais intensa. O inverno também é a época mais seca e a deciduidade evita a perda de água pelas folhas. Um exemplo de planta decídua é a cerejeira (Prunus serrulata).

A cerejeira é uma árvore de origem asiática, de médio porte e muito utilizada no paisagismo. Apresenta altura entre 4 e 10 metros com folhas alternadas e nervuras bem marcadas que surgem com uma tonalidade bronzeada, se tornando verdes e mudando para amarelo ou vermelho no outono, antes de caírem. Suas flores, rosas ou brancas, desabrocham durante o inverno até a primavera, unidas em grupos de duas a cinco em inflorescências. A Flor de Cerejeira simboliza a beleza feminina, amor, renovação e esperança, sendo conhecida como “Sakura”, a flor nacional do Japão.

Outra adaptação das plantas a climas frios é a modificação de suas folhas. As folhas da maior parte das coníferas, como pinheiros e araucárias, são aciculadas (com formato de agulha, longas e finas) para não acumular neve. Essas folhas são geralmente verdes escuras, o que ajuda a absorver o máximo de energia do fraco calor solar das altas latitudes ou por baixo das copas de uma floresta. Com isso, as folhas são perenes (não caem), conservando-se por vários anos antes de caírem.

Letícia Suigh Carlos Duarte (Estagiária do Jardim Botânico de Jundiaí)

Publicada em 29/06/2017




Jardim Botânico Jundiaí | Desenvolvido por CIJUN